Dando  continuidade às três edições anteriores, o IV Trans Day NIGS será realizado nos dias 29 e 30 de outubro de 2013 no Centro de Filosofia e Ciências Humanas (CFH) da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Como em 2013 foi publicada a nova versão DSM (Diagnostic and Statistical Manual of Mental Disorders), da American Psychiatric Association, pensamos ser importante avaliar as repercussões dos resultados da revisão do DSM em nível nacional. 

O IV Trans Day NIGS tem como objetivo ampliar a reflexão científica e o debate sobre a patologização das identidades trans, abordando temas de grande importância política em nível nacional e internacional no campo dos estudos de gênero, tendo como enfoque os dilemas e paradoxos que envolvem a patologização dos sujeitos trans tanto no plano subjetivo quanto em suas implicações sociais e políticas.

Desejamos ampliar, com a realização deste Seminário específico sobre  transfobia e identidades trans, o espaço acadêmico de discussão e troca de saberes entre a universidade, movimentos sociais e Estado, visando contribuir para o respeito à cidadania destes indivíduos e grupos sociais, através da implementação de políticas públicas inovadoras no campo do gênero e das sexualidades.

Para isto reuniremos pesquisadores/as que estudam identidades ou expressões de gênero trans, ativistas dos movimentos de travestilidades e transexualidades e formuladores asde políticas públicas no campo dos direitos humanos e da saúde para esses segmentos.

 

Além do manifesto visual pela despatologização das identidades trans, que será produzido coletivamente, haverá a apresentação do espetáculo teatral "Andróginos", de Porto Alegre, que discute as normas binárias de gêneros, e serão realizadas três rodas de conversa:

 

1. "Ativismo trans: repercussões das lutas no Brasil”

2. “Desafios da educação superior no fortalecimento da cidadania trans”

3. “Violências e transfobia”

 

Em outubro de 2010, o Núcleo de Identidades de Gênero e Subjetividades - NIGS – organizou oTrans Day NIGS 2010,  inserindo a Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) no circuito internacional de atividades que marcam a luta pela despatologização das identidades transexuais e trangêneros ao redor do mundo, através da campanha Stop Trans Pathologization – 2012. Esta visa a luta pela despatologização das identidades trans (transexuais e transgêneros) e pela sua retirada dos catálogos de doenças, o DSM (Diagnostic and Statistical Manual of Mental Disorders), da American Psychiatric Association, cuja versão revista foi publicada em 2013, e o CID (Classificação Internacional de Doenças), da Organização Mundial da Saúde (OMS), que será revisto em 2014. 

 

Em 2011 foi realizado o II Trans Day NIGS - Seminário Transfobia, Cidadania e Identidades Trans, que  teve como característica a incorporação do campo das artes plásticas na reflexão teórica proposta pelo NIGS, através de um manifesto visual que teve exposição itinerante na UFSC e uma mostra de filmes sobre a temática trans. Em 2011 o seminário contou com a participação de importantes pesquisadores/as da temática trans, como Tatiana Lionço, Berenice Bento, Fátima Lima, Guilherme de Almeida, Mônica Siqueira, Alexandre Câmara Vale e Rosa Blanca, e teve também a participação de ativistas como André Guerreiro e Gabriela Silva. Ainda nessa edição, tivemos o lançamento do livro "Viagem Solitária", de João W. Nery.

 

Em 2012 foi realizado III Trans Day NIGS, no qual debatemos questões especificas à população trans no Brasil, grupo com pouca visibilidade no campo das lutas LGBTTT. Nessa edição, as rodas de conversas versaram sobre políticas públicas para a saúde trans e ambulatórios “T”, nome social como estratégia de inclusão e aspectos jurídicos e (in)visibilidades trans, nas quais estavam presentes ativistas e pesquisadores/as. Realizamos também um manifesto visual através da exposição de fotografias intitulada "Pelas ruas... sem etiquetas!", e  uma mostra de filmes de curta-metragem sobre a temática trans, com chamada pública para submissão.